Santo Antonio Energia marca receita líquida de R$2,23 bilhões no 3T17

Companhia foi impactada pelos custos da liquidação da CCEE devido ao aumento do preço da energia spot

Divulgação

A Santo Antônio Energia, detentora da concessão da Hidrelétrica Santo Antônio, divulgou balanço financeiro na noite desta terça-feira. A geradora apresentou crescimento de 10% na receita líquida do terceiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano anterior.

O prejuízo líquido no terceiro trimestre de 2017 de R$ 845,7 milhões, sofreu aumento de R$ 570,6 milhões, quando comparado ao mesmo período em 2016 (R$ 275,1 milhões). O maior prejuízo no período foi ocasionado, principalmente, pelo aumento dos custos operacionais, despesas financeiras e depreciação e amortização.

No terceiro trimestre de 2017, a receita líquida totalizou R$ 2,23 bilhões, aumento de R$ 196,6 milhões (10%), comparado com o mesmo período de 2016 (R$ 2,03 bilhões). Esse aumento decorre do maior do número de turbinas em operação comercial quando comparado ao mesmo período de 2016. (50 Unidades Geradoras x 44 Unidades Geradoras).

A companhia apresentou um  resultado operacional de R$ 213,5 milhões no terceiro trimestre de 2017, representando uma redução de R$ 509,7 milhões quando comparado com o mesmo período em 2016 (Resultado Operacional de R$ 723,3 milhões), impactado pela reversão da Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa anulando o impacto da reversão do impairment conforme citado acima e principalmente pelos Encargos de Uso e Conexão e pelo aumento dos custos com Liquidação CCEE.

No terceiro trimestre de 2017, o EBITDA foi de R$ 805,0 milhões (Margem EBITDA de 36%), uma redução de R$ 399,3 milhões, quando comparado com o mesmo período de 2016, de R$ 1.204,4 milhões (Margem EBITDA de 59%). Apesar do aumento da receita líquida de R$ 196,6 milhões, a queda no EBITDA atribui-se pelo aumento nos custos operacionais, conforme citado anteriormente. A dívida atual da SAE em 30 de setembro de 2017 é de R$ 15,202 bilhões.

O crescimento se deve especialmente aos recordes de geração de energia alcançados pela hidrelétrica, conquistados após a entrada em operação comercial das últimas 6 unidades geradoras, em janeiro deste ano. Por outro lado, houve um recuo do EBITDA em razão do aumento dos custos setoriais não gerenciáveis causado pelo agravamento do risco hidrológico, que impacta diretamente o GSF (indicador do déficit hidrológico) e o valor médio do PLD (Preço de Liquidação das Diferenças), além da elevação dos encargos setoriais da TUST (Tarifa do Uso do Sistema de Transmissão), que conjuntamente, influenciaram o resultado da companhia.

Adicionalmente, como a UHE Santo Antônio foi implementada na modalidade Project Finance, o resultado dos primeiros anos de operação está sendo fortemente impactado pelas despesas financeiras, que vão sendo reduzidas de forma gradual.

Os custos e despesas operacionais, com exceção da Depreciação e Amortização, totalizaram R$ 648,1 milhões no terceiro trimestre de 2017, uma redução de R$ 82,3 milhões, comparado com o mesmo período de 2016. (R$ 730,5 milhões). Essa redução é devido ao estorno do reconhecimento de um impairment de R$ 678,6 milhões, ocorrido em dezembro de 2014 que estava sob efeito de arbitragem, no qual os árbitros entenderam que não se aplica a cláusula do contrato EPC, referente ao repasse da compra de energia por atraso do 2º cronograma de antecipação limitado a R$ 122,00/MWh (base dez/07).

Apesar da redução dos custos e despesas operacionais, a Companhia foi impactada pelos custos da liquidação da CCEE devido ao aumento do preço da energia spot (PLD), que passou de R$ 70,94 MW/h (preço médio 9M16) para R$ 298,04/MW/h (preço médio 9M17) e devido ao aumento dos gastos decorrentes de GSF (Generation Scaling Factor – Fator de ajuste de geração). Além disso, tivemos o aumento dos custos com os Encargos de Uso do Sistema de Transmissão (EUST) diretamente relacionados ao maior número de turbinas em operação.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia