S&P coloca ratings da Equatorial e da Celpa em crédito corporativo ‘brAA-‘

A perspectiva de ambos os ratings é negativa

S&P  e os ratings

A S&P Global Ratings atribuiu hoje, na Escala Nacional Brasil, os ratings de crédito corporativo ‘brAA-’ à Equatorial Energia e à sua subsidiária Centrais Elétricas do Pará – Celpa. A perspectiva de ambos os ratings é negativa.

O rating da Equatorial incorpora a visão de que, apesar de o grupo vir apresentando sólido desempenho financeiro conforme mostram os investimentos da empresa para melhora da qualidade do serviço na Celpa e os resultados apresentados. “Acreditamos que as métricas de crédito do grupo deverão apresentar certa deterioração nos próximos anos com os investimentos para construir as linhas de transmissão. Em nossa opinião, essa deterioração se dará de maneira mais acentuada nos anos de 2019 e 2020, quando os investimentos nesses ativos devem se concentrar, mas com rápida recuperação em 2021, ano em que a maioria das linhas de transmissão já estará em operação”, mostra comunicado.

Na análise da Equatorial e da Celpa se baseia nas informações financeiras e operacionais consolidadas do grupo, considerando assim que a qualidade de crédito da Equatorial resulta da combinação da qualidade de crédito das suas subsidiárias com a capacidade delas de geração de caixa para prover recursos suficientes, sob a forma de dividendos, de modo que a controladora possa lidar com suas obrigações e, ainda, continuar realizando os investimentos necessários para a expansão da rede e melhoria da qualidade do serviço nas áreas de concessão e também no segmento de transmissão. “Como acreditamos que as operações da Celpa sejam fundamentais para a Equatorial não apenas estrategicamente como também em termos de geração de caixa e presença geográfica, o rating da subsidiária está alinhado ao de sua controladora”, explicam.

A Equatorial, por meio da Celpa e da Companhia Energética do Maranhão – Cemar (Cemar; não avaliada), possui na atividade de distribuição de energia elétrica a principal operação. Desde que a Celpa foi incorporada pela Equatorial em 2012, a empresa vem passando por um processo de recuperação de sua qualidade do serviço, como pode se notar por seus indicadores de duração e frequência média de interrupção dos serviços e das perdas de energia, que vêm cumprindo com as metas regulatórias. Recentemente, o nível de perdas de energia da Celpa recuou para aquele reconhecido em suas tarifas, devido aos elevados investimentos em eficiência, e esperamos que a empresa continue realizando investimentos que lhe permitam a redução futura do nível de perdas, melhorando assim seu desempenho operacional e financeiro.

“Acreditamos que a Equatorial continuará realizando os investimentos para melhoria da qualidade operacional da Celpa e da Cemar, ao mesmo tempo que inicia a construção dos novos ativos de transmissão do grupo, os quais ampliarão a geração de caixa do grupo após 2020.

Esperamos que a Equatorial seja capaz de manter um índice de geração interna de caixa (FFO) sobre dívida entre 25% e 30% e de dívida sobre EBITDA entre 2,5x e 3,0x nos próximos dois anos.

Atribuímos os ratings ‘brAA-’ à Equatorial e à Celpa com base no desempenho financeiro sólido e na robusta posição de liquidez de ambas as empresas para fazer frente às suas necessidades de recursos.

A perspectiva negativa dos ratings da Equatorial e da Celpa reflete a limitação dos ratings dessas empresas ao rating soberano do Brasil”, avaliaram o analistas da S&P.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia