TPG fecha negócio de compra da Abengoa no Brasil

Conforme determinado no leilão judicial em 13 de dezembro de 2017, a TPG concordou em pagar o valor monetário de R$ 482 milhões

Flickr Creative Commons

A TPG, empresa de ativos alternativos globais, anunciou nesta quinta-feira a assinatura de um acordo definitivo para adquirir os empreendimentos de transmissão em operação da Abengoa no Brasil.

Conforme determinado no leilão judicial em 13 de dezembro de 2017, a TPG concordou em pagar o valor monetário de R$ 482 milhões. A transação está sujeita às aprovações habituais da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco da Amazônia (BASA) e titulares de debêntures.

O TPG é um investidor global com histórico de movimentação de transações complexas. Temos uma longa trajetória de investimento em mercados emergentes e de rápido crescimento, em parceria com as empresas para superar desafios únicos para sua indústria ou mercado específico.

As empresas que foram adquiridas são ativos estratégicos de longo prazo que representam uma parte importante do sistema brasileiro de transmissão de energia.

“Temos a expectativa de apoiar essas empresas por meio desta reestruturação e assegurar que continuem a atender a todos os requisitos operacionais e regulatórios.
Esta negociação marca um passo importante para a TPG no Brasil, uma região na qual continuaremos a avaliar e buscar oportunidades de investimento”, diz o comunicado da TPG.

Abengoa é uma companhia internacional que aplica soluções tecnológicas nos setores da energia e meio ambiente, gerando eletricidade a partir de recursos renováveis, transformando biomassa em biocombustíveis ou produzindo água potável a partir da água do mar.

-Geração de energia a partir de recursos renováveis;
-Transformação de biomassa em biocombustíveis;
-Criação de infraestrutura que evite o investimento em novos ativos contaminantes;
-Criação de novos horizontes de desenvolvimento e inovação.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia