Tractebel tem lucro de R$209 milhões no segundo trimestre

Receita líquida de vendas totalizou no segundo trimestre R$ 1,5 bilhão

Manoel Zaroni

A Tractebel divulgou seu balanço financeiro referente ao primeiro semestre e segundo trimestre de 2015.

O Ebitda mostrou avanço de 94% no período em análise, alcançando R$ 586 milhões, com margem Ebitda de 37,9%, 15,8 pontos percentuais acima da margem do mesmo trimestre de 2014. Entre os fatores que levaram a Tractebel a obter esses números, a diretoria da empresa destaca o efeito positivo de R$ 238 milhões nas transações ocorridas no mercado de curto prazo e a elevação de R$ 172 milhões na receita líquida de venda de energia contratada, eventos parcialmente compensados pela elevação de R$ 55 milhões nas compras de energia para revenda.

A mudança na estratégia anual de alocação de energia possibilitou à Tractebel obter melhores resultados no primeiro semestre de 2015 do que no mesmo período do ano anterior. Assim, no segundo trimestre de 2015 o lucro líquido alcançou R$ 209 milhões, 184% acima do apresentado no mesmo período do ano passado, quando a companhia direcionou a maior parte de sua capacidade comercial para o segundo semestre.

Já a receita líquida de vendas totalizou no segundo trimestre R$ 1,5 bilhão, crescimento de 13% comparado ao valor apurado no mesmo período de 2014.
Entretanto, para o diretor presidente da Tractebel Energia, Manoel Zaroni Torres, 2015 será mais um ano difícil para o setor, em especial para os geradores hidrelétricos.

Para o executivo, a hidrologia tem se comportado mais próximo da média histórica nos últimos meses, mas ainda se observa um intenso despacho de termelétricas para auxiliar na recomposição dos reservatórios. Isso tem deslocado a geração das hidrelétricas, que se viram obrigadas a comprar, a preços muito elevados, aproximadamente 20% da energia vendida na primeira metade do ano. À geração inferior ao volume contratado o setor chama de GSF. “E esse baixo GSF está drenando recursos do caixa, que poderiam ser destinados a investimentos em andamento. Esperamos uma solução rápida para o problema do risco hidrológico, para que os investidores assumam os riscos razoáveis do negócio”, afirma.

Zaroni ressalta que a crise hídrica também teve seu lado positivo, já que trouxe os preços da energia para patamares mais realistas, tanto no mercado livre quanto nos leilões realizados pelo Governo Federal.

Entre as boas notícias do segundo trimestre estão a entrada em operação, em 23 de maio, do novo turbogerador 5 da Usina Termelétrica Ferrari (SP), aumentando sua geração em mais 15 MW, elevando sua capacidade instalada para 80,5 MW; a obtenção da Licença de Instalação da Termelétrica Pampa Sul (Miroel Wolowski), no Rio Grande do Sul, e a inclusão da Tractebel Energia em um importante índice de responsabilidade empresarial de companhias dos países em desenvolvimento – o Euronext Vigeo EM 70. No Brasil, além da geradora e comercializadora de energia, outras nove empresas foram selecionadas.

O Conselho de Administração da companhia aprovou a distribuição de R$ 311 milhões (R$ 0,4769 por ação) sob a forma de dividendos intercalares, com base nos resultados do primeiro semestre do ano, o que corresponde a 55% do lucro líquido ajustado no período. As ações ficarão ex-dividendos intercalares em 21 de agosto.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia