CCEE: Geração eólica cresce 25% em 2017

Produção das usinas movidas pela força dos ventos alcançou 4.032 MW médios entre janeiro e agosto; capacidade instalada da fonte no País é de 11,9 GW

Divulgação

Dados consolidados do boletim InfoMercado mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE apontam que a produção de energia eólica em operação comercial no Sistema Interligado Nacional – SIN, entre janeiro e agosto de 2017, foi 25,7% superior à geração no mesmo período do ano passado.

A produção das usinas da fonte chegou a 4.032 MW médios frente aos 3.208 MW médios gerados no mesmo período do ano passado. A representatividade da fonte eólica em relação a toda energia gerada no período pelas usinas do Sistema alcançou 6,5% em 2017. A fonte hidráulica (incluindo as Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs) foi responsável por 73,8% do total e as usinas térmicas responderam por 19,7%.

Ao final de agosto, a CCEE contabilizou 470 usinas eólicas em operação comercial no país que somavam 11.951 MW de capacidade instalada, incremento de 25,5% frente ao potencial das 374 unidades geradoras existentes em agosto de 2016.

Eólica por Estado

O boletim indica que, por estado, o Rio Grande do Norte segue na liderança da produção eólica no país com 1.316,7 MW médios de energia entregues em 2017, aumento de 26,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Em seguida, aparece a Bahia com 833 MW médios produzidos (+26,4%), o Rio Grande do Sul, que alcançou 583,5 MW médios (+21%), o Ceará com 552 MW médios (+2,8%) e o Piauí com 443,6 MW médios, aumento de 48% frente à geração alcançada em 2016.

Os dados consolidados da CCEE de agosto de 2017 confirmam ainda o estado do Rio Grande do Norte com a maior capacidade instalada, somando 3.455,3 MW, aumento de 18% em relação a agosto de 2016 quando a capacidade instalada era de 2.926,5 MW. Em seguida aparece a Bahia com 2.206 MW (+26%), o Ceará com 2.036,2 MW (+16,2%), o Rio Grande do Sul com 1.777,9 MW (+17,2%) e o Piauí com 1.325,5 MW de capacidade, crescimento de 62,5% frente ao ano passado.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia