CCEE indica aumento de 25% na geração eólica em 2017

Usinas movidas pela força dos ventos produziram 3.794 MW médios ao longo do ano; capacidade instalada da fonte é de 11,3 GW

Geração

Os números consolidados do boletim InfoMercado mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE apontam que a produção de energia eólica em operação comercial no Sistema Interligado Nacional – SIN, entre janeiro e julho de 2017, foi 25,3% superior à geração no mesmo período do ano passado. Os números foram apresentados hoje.

As usinas da fonte produziram um total de 3.794 MW médios frente aos 3.029 MW médios gerados no mesmo período de 2016. A representatividade da fonte eólica em relação a toda energia gerada no período pelas usinas do Sistema alcançou 6,1% em 2017. A fonte hidráulica (incluindo as Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs) foi responsável por 75,6% do total e as usinas térmicas responderam por 18,3%.

Ao final de julho deste ano, a CCEE contabilizou 446 usinas eólicas em operação comercial no país, que somavam 11.313,5 MW de capacidade instalada, incremento de 19,7% frente à capacidade das 371 unidades geradoras existentes em julho de 2016.

Eólica por Estado

O boletim aponta que, por estado, o Rio Grande do Norte permanece como maior produtor de energia eólica do país com 1.227 MW médios em 2017, aumento de 25,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Em seguida, aparece a Bahia com 819 MW médios produzidos (+30%), o Rio Grande do Sul, que alcançou 565,6 MW médios (+16,3%) e o Ceará com 494 MW médios (+1,3%).
Os dados consolidados da CCEE de maio de 2017 confirmam ainda o estado do Rio Grande do Norte com a maior capacidade instalada, somando 3.316,6 MW, aumento de 15,3% em relação a julho de 2016 quando a capacidade instalada era de 2.877,3 MW. Em seguida aparece o Ceará com 2.036,2 MW (+16,3%), a Bahia com 1.894 MW (+8,2%) e o Rio Grande do Sul com 1.730 MW (+14,2%).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia