CCEE: PLD médio para 2017 no Sudeste deve ficar em R$ 189/MWh

Volume elevado de chuvas no final de maio e começo de junho nas regiões Sul e Sudeste contribui para a manutenção do preço até R$ 200/MWh ao longo do ano

Reservatórios

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE apresentou nesta esta semana a análise do comportamento do Preço de Liquidação das Diferenças – PLD de junho e início de julho. O volume significativo de chuvas registrado entre maio e junho é o principal fator para a redução do PLD médio de 2017, que deve permanecer na faixa entre R$ 100/MWh e R$ 200/MWh até o fim do ano. No Sudeste/Centro-Oeste, o preço anual projetado é de R$ 189/MWh.

“A queda no preço médio foi causada pela elevação das ENAs (Energia Natural Afluente) registradas ao longo de um período de 30 dias, entre a segunda quinzena de maio e meados de junho, no Sul e no Sudeste”, afirma o gerente de preços da CCEE, Rodrigo Sacchi.

A previsão de afluências para julho, no entanto, indica a queda dos índices no Sudeste (de 108% para 86%) e no Sul (de 266% para 80%). Mesmo ainda abaixo da MLT, as afluências estão mais otimistas no Nordeste (de 33% para 34%) e no Norte, passando de 59% em junho para 64% da média em julho.

O comportamento dos reservatórios do Sul indica recuperação expressiva, ou seja, reenchimento de 17,1% dos níveis na região, comparados ao índice previsto no começo de junho. No Sudeste, por sua vez, houve uma pequena queda de 1,2%, levando os níveis a 42,1% de energia armazenada. “Os níveis dos reservatórios do Nordeste continuam em queda (-2%) e o Norte registra armazenamento relativamente alto (64%), mas há a perspectiva de retração nos próximos meses”, ressalta Sacchi.

Em junho, o PLD ficou abaixo de R$ 150/MWh em todos os submercados, variando entre R$ 65,91/MWh no Sul e R$ 143,59/MWh no Nordeste. Os preços foram distintos também no Sudeste/Centro-Oeste (R$ 124,70/MWh) e no Norte (R$ 128,96/MWh). “Houve aumento e equalização do PLD na primeira semana de julho (R$ 233,32/MWh), isso em função da redução nos volumes de chuvas e afluências na segunda quinzena de junho e começo de julho, comportamento natural e já esperado para o período”, afirma o executivo.

As projeções atualizadas do PLD, muito em função do alto volume de afluências registradas entre os meses de maio e junho, indicam queda no preço médio anual que deve ficar em R$ 189/MWh no Sudeste/Centro-Oeste. A tendência é que o preço fique entre R$ 100/MWh e R$ 200/MWh até o fim de 2017. Rodrigo Sacchi salienta que, mesmo em pleno período úmido, as afluências para 2018 estão menos otimistas, o que deve elevar o PLD já no início do próximo ano.

Já o fator de ajuste do MRE para o ano deve ficar em 85%, considerando o perfil de sazonalização de Garantia Física (GF) declarado pelos agentes desse mecanismo, com índices em 78% em junho e 69% em julho, este último causado pela sazonalização mais acentuada no mês. A projeção do MRE relacionado à repactuação do risco hidrológico, que leva em conta a sazonalização “flat” da garantia física, deve ficar em 78,8% em junho e em 74,3% em julho.

O impacto financeiro previsto, num cenário hipotético de 100% de contratação, deve ficar em R$ 13,1 bilhões para 2017, sendo R$ 9,3 bilhões referentes ao Ambiente de Contratação Regulada – ACR e R$ 3,8 bilhões restantes ao Ambiente de Contratação Livre – ACL.

Os Encargos de Serviços do Sistema – ESS, em junho, foram estimados em R$ 126 milhões e a previsão para julho é de R$ 36 milhões, referentes à segurança energética.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia