Em março entraram em operação comercial 509,1MW de capacidade instalada

Fator de capacidade médio da geração eólica da região Sul, no mês de fevereiro de 2015, diminuiu 1,6 p.p. frente ao mês anterior, atingindo 18,4%

Divulgação Itaípu

No mês de março, entraram em operação comercial 509,1 MW de capacidade instalada de geração e 332,0 km de linhas de transmissão, segundo dados do Boletim Mensal de Monitoramento do Setor Elétrico, divulgado nesta quinta-feira, 30 de abril, pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

De janeiro a março deste ano, a energia nova adicionada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) já soma 1.594,2 MW, com 464, 0 km de linhas de transmissão que entraram em operação.

O documento também mostra que a capacidade própria instalada total de geração de energia elétrica no Brasil, em março, atingiu 135.346 MW. Em comparação com o mesmo mês em 2014, houve expansão de 2.936 MW de geração de fonte hidráulica, de 1.304 MW de fontes térmicas e de 3.262 MW de geração eólica.

Em março, a matriz de capacidade instalada de energia elétrica brasileira contava com 66,2% de fontes hidrelétricas, 29,6% de térmicas, e 4,2% de eólicas.

Fontes

No mês de fevereiro de 2015, a matriz de produção de energia contou com 72,1% em geração hidráulica.  As usinas térmicas produziram 25,1% da energia no País. A energia eólica foi responsável por 2,8% da matriz de produção de energia em fevereiro.

O fator de capacidade médio da geração eólica da região Sul, no mês de fevereiro de 2015, diminuiu 1,6 p.p. frente  ao  mês  anterior,  atingindo 18,4%, e diminuiu 10,4 p.p.no Nordeste, alcançando 33,7%.  No acumulado dos últimos doze meses,  com relação ao mesmo período anterior, houve redução de 1,5p.p.  no  fator  de  capacidade  na região Sul, enquanto que na região Nordeste o fator de capacidade das usinas aumentou cerca de 3,8p.p.

Com relação ao mercado consumidor, no acumulado dos últimos doze meses ( março de 2014 a fevereiro de 2015), o consumo total, considerando as perdas, cresceu 1,2% em relação ao mesmo período anterior. Por sua vez, o consumo, em termos anuais, apresentou retração  de 1,2 % entre fevereiro de 2015 e o mesmo mês  de  2014. Nesse período, houve expansão de 3,1% na quantidade de unidades consumidoras residenciais.

Para acompanhar o Boletim Completo acesse:www.mme.gove.br

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia