ENEL desembarca na Austrália com maior projeto fotovoltaico do País

Uma joint venture entre a Enel Green Power e o Dutch Infrastructure Fund fechou o acordo para a compra dos primeiros 137,5 MW do projeto fotovoltaico Bungala Solar, de 275 MW

Divulgação

A Enel, por meio de uma joint venture entre sua subsidiária de energias renováveis Enel Green Power SpA (EGP) e o Dutch Infrastructure Fund (DIF), fechou um acordo para adquirir o Bungala Solar One, a primeira fase de 137,5 MW do projeto fotovoltaico Bungala Solar, de 275 MW, que é atualmente o maior projeto fotovoltaico pronto para ser construído na Austrália, da Bungala Solar Holding Pty Ltd., uma subsidiária do desenvolvedor australiano Reach Solar Energy Pty Ltd.

A compra do Bungala Solar Two, que é a segunda fase do projeto, deverá ser encerrada no terceiro trimestre deste ano. O projeto Bungala Solar está localizado perto de Port Augusta, no sul da Austrália.

“A aquisição do maior projeto de energia fotovoltaica da Austrália, que nos leva a um novo continente, é um passo importante para o Grupo Enel”, disse Francesco Starace, CEO da Enel. “O mercado australiano de energia renovável é caracterizado por recursos abundantes e demanda crescente. A Enel trabalhará para aproveitar esses recursos e para contribuir com a economia australiana, gerando valor compartilhado para todos os nossos stakeholders por meio de uma estratégia que proporcione um crescimento industrial construído a partir de uma base de desenvolvimento sustentável”.

O investimento total da joint venture no projeto de 275 MW é de cerca de US$ 315 milhões de dólares, incluindo a construção do projeto, em que a Enel contribuiu com cerca de US$ 157 milhões. O investimento total será financiado por meio de uma combinação de capital e financiamento de projetos com um consórcio de bancos locais e internacionais. O projeto é totalmente contratado com um acordo de compra de energia de longo prazo com a Origin Energy, uma importante empresa australiana de serviços públicos.

As obras de construção do Bungala Solar One deverão começar em meados de 2017. Depois, começa o Bungala Solar Two, cuja construção começará até o final deste ano. O projeto global de 275 MW estará totalmente operacional até o terceiro trimestre de 2018.

O projeto Bungala Solar tem o objetivo de gerar cerca de 570 GWh por ano, o equivalente às necessidades de consumo de cerca de 82.000 famílias australianas, evitando a emissão de cerca de 520.000 toneladas de CO2.

A Austrália é um país de grande interesse para o Grupo Enel devido à sua abundância de fontes renováveis (em particular o sol e o vento), além de uma crescente demanda por energia renovável, sua infraestrutura de rede e o marco regulatório existente, como evidenciado pelo Programa Alvo de Energia Renovável (Renewable Energy Target – RET), do Governo Federal. O RET tem como meta atingir 23,5% da energia gerada a partir de fontes renováveis até 2020 e é complementada por iniciativas estaduais destinadas a aumentar a geração de energia renovável por meio de um mecanismo de licitação.

A Enel é uma empresa multinacional de energia e um dos principais players integrados nos mercados globais de energia, gás e renováveis. É a maior companhia integrada europeia em termos de capitalização de mercado e está entre as principais empresas de energia da Europa em termos de capacidade instalada e EBITDA relatado. O Grupo opera em mais de 30 países em todo o mundo, produzindo energia por meio de aproximadamente 85 GW de capacidade gerida. A Enel distribui eletricidade e gás através de uma rede de mais de 2 milhões de quilômetros. Com mais de 65 milhões de clientes empresariais e domésticos em todo o mundo, o Grupo tem a maior base de clientes entre os concorrentes europeus. A Enel Green Power já gere quase 38 GW de energia eólica, solar, geotérmica, biomassa e usinas hidrelétricas na Europa, América, África, Ásia e, agora, está chegando à Austrália.

A DIF é uma empresa independente de gestão de fundos focada em investimentos em ativos de infraestrutura de alta qualidade, que geram fluxos de caixa estáveis e de longo prazo, como parcerias público-privadas, projetos de energia renovável e outros projetos de infraestrutura. A DIF foi criada em 2005 e já investiu e gere mais de 180 projetos em todos os setores de infraestrutura social, transportes e energias renováveis. Os investidores da DIF são compostos por fundos de pensão de nível superior, seguradoras, bancos e fundos de fundos.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia