Expansão do gás acompanha crescimento do mercado

Projeção será apresentada pela EPE durante 12ª do Gas Summit Latin America, em junho

Gás natural - estoques

O mercado nacional de gás tem suprimento suficiente para atender a expansão do mercado. É o que aponta o presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Maurício Tolmasquim. “Considerando a importação de GNL do mercado internacional mais a produção doméstica, teremos oferta para os setores de indústria, transporte e termelétricas”, afirma.

O presidente está entre os palestrantes da 12ª edição do Gas Summit Latin America, seminário que discute os caminhos e o futuro da indústria do gás natural e acontece entre os dias 8 e 10 de junho, no Rio de Janeiro. Durante sua apresentação, Tolmasquim mostrará ainda o Plano Decenal de 2024, no qual faz projeção de números sobre oferta e demanda de gás nos próximos anos.

De acordo com a estimativa da EPE para os próximos 10 anos, o consumo elétrico do Brasil deve crescer a taxa anual de 3,9% até 2024, atingindo 693.469 GWh. “Independentemente da crise hídrica, ao longo de cada ano vai havendo equilíbrio  na alternância entre a demanda de energia de hidrelétricas e de termelétricas, neste último caso, ganhando destaque a participação do gás na matriz energética”, explica.

Questões regulatórias – A palestra de Maurício Tolmasquim será logo após a apresentação da temática “Lei do Gás”, a ser realizada pela assessora de diretoria da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás natural e Biocombustíveis), Heloise Costa.

As perspectivas de harmonização das regulações estaduais e federal e de consolidação do mercado livre de gás estão entre os principais pontos que serão levantados pela representante da ANP. “Eventos da natureza e da amplitude do Gas Summit permitem que haja maior convergência para o entendimento de questões centrais que entravam o crescimento do setor”, destaca Heloise.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia