ÍNDICE COMERC: Segmento de Veículos e Autopeças lidera a retomada do consumo de energia

Alta no consumo acompanha crescimento de 33,8% na produção de veículos

Divulgação

O setor de Veículos e Autopeças liderou o consumo de energia entre os doze segmentos monitorados pelo Índice Comerc Energia em maio. Houve alta no consumo tanto na comparação de maio de 2016 contra maio de 2017 (9,17%), quanto o período entre abril de 2017 e maio de 2017 (11,72%). Foi o maior crescimento no consumo observado no Índice de maio em todas as bases de comparação.

O consumo de energia do segmento de Veículos e Autopeças está em linha com os dados divulgados no início do mês pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA). Segundo a instituição, mais de 237 mil unidades deixaram as linhas de montagem em maio, o que representou uma expansão de 25,1% frente à produção de abril e de 33,8% ante a produção em igual período no ano passado.

Analisando o consumo de energia de todos os segmentos acompanhados pelo Índice, a variação chegou a 1,69%, na em comparação a maio de 2016, e a 2,62% entre maio e abril deste ano. Já no acumulado do ano versus o mesmo período do ano anterior, houve discreta alta, de 0,47% (gráfico acima).

Dos 12 setores analisados, oito tiveram aumento no consumo de energia elétrica em relação a maio de 2016, enquanto nove consumiram mais energia do que em abril de 2017.

Comércio e Varejo

O segmento de Comércio e Varejo também apresentou uma retomada razoavelmente expressiva no consumo de energia. Após registrar quedas sucessivas no último ano – quando comparado ao mesmo mês do ano anterior -, o setor exibiu um aumento de 0,31% no consumo em relação a maio de 2016. “O consumo nesse segmento, enfim, estabilizou-se depois de registrar uma forte queda em função da chegada do frio, em abril, quando o uso da refrigeração dos ambientes deixou de ser tão grande”, afirma Cristopher Vlavianos, presidente da Comerc Energia.
Sinais contraditórios ao longo do ano

“Temos notado uma oscilação muito grande no comportamento do consumo de energia quando observarmos a sua variação mensal”, comenta Vlavianos. “No último ano, metade dos meses registrou um consumo superior ao mês anterior. E, em metade, vemos um decréscimo. Este é um quadro que reflete a instabilidade econômica do momento, com sinais contraditórios”, conclui o executivo.

O Índice Comerc Energia, publicado mensalmente, leva em conta o consumo das cerca de 1.300 unidades na sua carteira, pertencentes a mais de 700 grupos industriais e comerciais que compram energia elétrica no mercado livre. É composto por doze segmentos: Química; Manufaturados; Veículos e Autopeças; Têxtil, Couro e Vestuário; Papel e Celulose; Siderurgia e Metalurgia; Eletromecânica; Materiais de Construção; Higiene e Limpeza; Embalagens; Comércio e Varejo; e Alimentos.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia