Itaipu vai assinar importantes acordos ambientais, em Paris, nesta semana

Um deles prevê a renovação de um convênio e outro adesão à rede mundial de reservas de biosfera

Divulgação

A delegação da Itaipu binacional assina, nesta semana, em Paris, na França, dois importantes acordos ambientais com a Unesco. Na quarta-feira, 14, está prevista a adesão da binacional à rede mundial de reservas de biosfera. Já na quinta-feira, 15, será feita a renovação do convênio do Centro de Categoria 2, do Centro Internacional de Hidroinformática. Em 2016, o CIH obteve essa chancela da Rede do Programa Hidrológico Internacional da Unesco (PHI-Unesco).

Já reconhecida e premiada pela ONU por sua atuação socioambiental, em especial pelos cuidados com a água, com a adesão, Itaipu poderá ser “a primeira hidrelétrica incluída na rede mundial de reservas da biosfera”. Nesta segunda-feira, 12, a delegação de Itaipu manteve uma série de compromissos na sede da Unesco.

A comitiva da binacional é formada pelos diretores-gerais brasileiro e paraguaio, Luiz Fernando Vianna e James Spalding, o diretor de Coordenação do Paraguai, Pedro Domaniczky Lanik, e o assessor do diretor-geral, Paulo Maranhão. Eles tiveram contato com a diretora da Divisão de Ciências da Água, da Unesco, e secretária do PHI, Blanca Jiménez Cisneros.

Na oportunidade, Vianna, que está no cargo há três meses, reafirmou a intenção de manter as parcerias de Itaipu com a Unesco. Desde o reconhecimento da entidade, o CIH passou a integrar a rede mundial de centros especializados e credenciados pela Unesco.

Os centros de categoria 2 não recebem recursos da Unesco, mas contribuem para o PHI principalmente através da partilha de conhecimentos, pesquisas e outras linhas de ação especializadas. No CIH, a principal contribuição se dá por meio de programas de capacitação, especialmente nos campos do geoprocessamento e geotecnologias.

Participação ampla

A Itaipu Binacional participa até a próxima quinta-feira da 29ª sessão do Conselho Internacional de Coordenação do Homem e da Biosfera, do Programa MaB – Man and the Biosphere (MAB – ICC), da Unesco, cuja abertura ocorreu nesta segunda-feira (12). Além de defender a participação de Itaipu na rede mundial de reservas de biosfera, áreas voltadas à pesquisa cooperativa, à conservação do patrimônio cultural e à promoção do desenvolvimento sustentável, a delegação quer mostrar a continuidade dos trabalhos na área de sustentabilidade.

Reserva de biosfera

Alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, patrocinados pela ONU, Itaipu e seu entorno se credenciam a ser uma das novas áreas que o Programa MaB da Unesco selecionará para fazerem parte da Rede de Reserva da Biosfera Mundial.

Com a inclusão nessa rede, a usina poderia participar e se beneficiar do compartilhamento de pesquisas das outras reservas espalhadas pelo mundo e também fortalecer seu papel político e institucional na região, o que favoreceria o desenvolvimento de programas e projetos para uma visão de futuro comum, tendo o desenvolvimento sustentável como horizonte.

O Conselho Internacional do MaB é composto por 34 estados membros da Unesco, eleitos pela conferência geral da entidade. Criado para facilitar a cooperação científica internacional sobre as interações entre o homem e seu meio, o programa foi lançado em 1971 e é resultado da “Conferência sobre a Biosfera”, realizada pela Unesco, em setembro de 1968, também em Paris.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia