PLD das regiões Sudeste, Sul e Nordeste sai do teto pela primeira vez em 2015

Níveis dos reservatórios ficam 1.300 MWmédios acima do previsto

PLD para junho

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) informa que o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para o período de 30 de maio a 5 de junho foi fixado em uma média de R$ 370,41/MWh para todos submercados. Houve redução de cerca de 5% nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Nordeste, onde o preço saiu do valor máximo estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL (R$ 388/MWh) pela primeira vez em 2015. Já no Norte, o preço médio teve um aumento de 134% – saiu de R$ 158,54/MW/h e igualou-se aos demais submercados.

A previsão de vazões mais otimistas na região Sul (127% da média histórica), decorrente da consolidação do início do período úmido neste submercado, representa cerca de 6.600 MWmédios a mais em energia frente aos registros de maio. Já nos demais submercados, a expectativa é de queda das afluências em aproximadamente 14.000 MWmédios em função do término do período úmido nestas regiões. Apesar da redução, estas devem seguir próximas da média histórica – a previsão para o Sudeste é de 90% e no Norte de 100%. Apenas as afluências do Nordeste foram previstas para valores mais baixos (57% da Média de Longo Termo – MLT).

A melhora das afluências no Sul, já observada ao longo da última semana de maio, influenciou os níveis de armazenamento dos reservatórios, que ficaram cerca de 950 MWmédios acima do previsto para o início de junho. Os níveis do Norte (660 MWmédios) e Nordeste (100 MWmédios) ficaram superiores aos previstos, enquanto o nível do Sudeste ficou 400 MWmédios menor. Considerado todo o sistema, o armazenamento registrado foi 1.300 MWmédios superior às expectativas.

O fim do período úmido no Norte reduz o envio de energia para as demais regiões, sendo que os limites das capacidades de intercâmbio deixam de ser atingidos e resultam na equalização dos preços entre os submercados.

Outro fator que contribuiu para a queda do preço foi a redução de 450 MWmédios na carga prevista para o sistema, sendo a maior redução esperada para o Sudeste.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia