Aneel autoriza adiamento no cronograma da Usina de Sinop por 11 meses

Licitada em 2013, a usina localiza-se nos municípios de Cláudia e Itaúba

Novas decisões

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou hoje o adiamento de 11 meses no cronograma de implantação da Usina Hidrelétrica de Sinop, em Mato Grosso. Com isso, o início das atividades do empreendimento, previsto para janeiro deste ano, foi transferido para dezembro.

A decisão deixa a concessionária livre das responsabilidades relativas a compra e entrega de energia. Além disso, a concessionária não será punida com o pagamento de encargos resultantes do atraso no cronograma do empreendimento.

A Companhia Energética Sinop, consórcio formado pelo grupo francês EDF, a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) e a Eletronorte, havia solicitado à Aneel o deslocamento do cronograma de implantação da usina em 12 meses e o reconhecimento de 21 meses de isenção de responsabilidade pelo atraso na construção da obra.

Na decisão, a Aneel acatou a argumentação da concessionária de que a obra atrasou porque a Secretaria de Meio Ambiente de Mato Grosso demorou a emitir as autorizações para retirada de vegetação e rochas. Essa retirada possibilitaria o desvio do Rio Teles Pires para encher o reservatório. Segundo a Aneel, a demora na expedição não foi responsabilidade da companhia, que, portanto, não deveria ser punida com a aplicação de penalidades.

Licitada em 2013, a usina localiza-se nos municípios de Cláudia e Itaúba. Quando terminada, a Hidrelétrica de Sinop terá potência instalada de 408 megawatts (MW), podendo atender ao consumo de cerca de 1,6 milhão de pessoas.

Com Ag. Brasil

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia