Leilões de Energia Existente contratam 12.466 GWh e movimentam R$ 2,19 bilhões

Ministério de Minas e Energia deverá definir, no início de 2018, o cronograma de realização dos leilões de energia

Flickr Creative Commons

Os Leilões de Energia Existente “A-1” e “A-2”, realizados na última sexta-feira ( 22) resultaram na contratação de energia elétrica de oito vendedores no leilão “A-1” e treze no leilão “A-2”, para atender a demanda de dez agentes de distribuição para 2018 e doze agentes de distribuição para 2019, nos quatro submercados, Nordeste, Norte, Sudeste/Centro-Oeste e Sul. A energia contratada, 288,0 MW médios no leilão “A-1”, e 423,0 MW médios no leilão “A-2”, irá suprir a demanda projetada de energia elétrica do Sistema Interligado Nacional – SIN para os anos de 2018 e 2019.

O preço médio da energia negociada no Leilão “A-1” foi de R$ 177,46/MWh, alcançando um deságio médio de 18,22%, e de R$ 174,52/MWh no Leilão “A-2”, alcançando um deságio médio de 9,58%. Os leilões foram realizados pela ANEEL na sede da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) em São Paulo.

Os Leilões de Energia Existente permitem a recomposição de mercado das concessionárias de distribuição nos próximos anos, o que contribui para o equilíbrio entre oferta e demanda. Nos Leilões de Energia Existente foram negociados um produto em cada leilão, para o quais serão celebrados Contratos de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado (CCEAR) com prazo de suprimento de dois anos, com início de suprimento em 1º de janeiro de 2018 no Leilão “A-1” e em 1º de janeiro de 2019 no Leilão “A-2”.

Certames de Geração e Transmissão de dezembro

Na segunda-feira (18) foi realizado o Leilão de Energia Nova “A-4”, de 2017, com a contratação de 25 usinas de fontes renováveis: solar (20), eólica (2), PCH (1), CGH** (1) e biomassa (1), totalizando 675 MW ao preço médio de R$ 144,51 / MWh, deságio médio de 54,65%. O destaque foi a contratação de vinte usinas solares com total de 790,6 MWp, a um preço médio de R$ 145,68 / MWh.

Na quarta-feira (20) foi realizado o Leilão de Energia Nova “A-6”, de 2017, com a contratação de 63 usinas de diversas fontes: eólica (49), PCH (6), termelétricas a biomassa (6) e a gás natural (2), totalizando 3.841 MW ao preço médio de R$ 189,45/MWh, alcançando um deságio médio de 38,70%. O destaque foi a contratação de 1.702,7 MW de usinas renováveis e 2.138,9 MW de usinas a gás natural.

Considerando o conjunto de energia negociada nos dois certames foram contratadas 88 usinas, com 4.516,1 MW, diversificando a matriz elétricas a partir das seguintes fontes: solar (20), eólica (51), hidrelétrica (8), biomassa (8) e gás natural (2), com investimentos até 2023 de R$18,2 bilhões.

No conjunto dos leilões de geração foram contratados 624,10 TWh de energia, 98% proveniente de empreendimentos novos, e 2% de energia existente, movimentando R$116,31 bilhões em contratos a serem celebrados entre os vencedores e os agentes de distribuição.

Considerando também o resultado do 2º Leilão de Transmissão de 2017, realizado pela ANEEL na sexta-feira (15), onde foram contratados 4.919 km de linhas de transmissão e 10.416 MVA de transformação com investimentos previstos de R$8,75 bilhões, os investimentos em geração e transmissão previstos para os próximos anos são da ordem de R$27 bilhões, gerando emprego e renda por todo o país.

Em 4 de abril de 2018 está prevista a realização do Leilão de Energia Nova “A-4”, de 2018, conferindo previsibilidade aos interessados e prazo adequado para implantação dos projetos cujos empreendedores venham a se sagrar vencedores. Além disso, o Ministério de Minas e Energia deverá definir, no início de 2018, o cronograma de realização dos leilões de energia.

 

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia