BNDES seleciona Vinci como gestor do Fundo de Energia Sustentável

Com R$ 500 milhões de patrimônio, fundo que dará prioridade a projetos de infraestrutura relacionados à economia de baixo carbono será lançado no segundo semestre deste ano

Divulgação - Itaipu

O BNDES, por meio de sua subsidiária de participações societárias, a BNDES Participações (BNDESPAR), escolheu a Vinci Partners para ser o gestor do Fundo de Energia Sustentável. Com patrimônio de R$ 500 milhões e prazo de 15 anos, o fundo terá participação máxima de 50% da BNDESPAR e será o primeiro parceiro da Climate Bonds Initiative no Brasil, instituição sem fins lucrativos que busca incentivar a criação de instrumentos financeiros de apoio a soluções para o desafio das mudanças climáticas.

-BNDESPAR espera, com essa iniciativa, incentivar a criação de um mercado de títulos verdes no Brasil.

-BNDESPAR recebeu propostas de alta qualidade técnica para a gestão do Fundo.

O processo de seleção, iniciado em dezembro de 2016, mobilizou uma série de instituições e permitiu ao BNDES debate sobre novas ideias e produtos para desenvolver o mercado brasileiro de fundos de infraestrutura, os quais serão utilizados pelo Banco em novas iniciativas

Vinci Partners, instituição escolhida por apresentar a melhor nota técnica e comercial conforme o edital de seleção, tem aproximadamente R$ 20 bilhões de ativos sob sua gestão e uma plataforma com mais de 60 clientes institucionais. Possui ainda experiência em análise, gestão e monitoramento de projetos de infraestrutura.

Com a definição do gestor, a BNDESPAR e a Vinci iniciarão o processo de estruturação do fundo, de discussão de regulamento e de oferta de quotas junto aos investidores. O produto deverá ser lançado no segundo semestre deste ano.

O Fundo investirá em debêntures incentivadas de projetos de infraestrutura, prioritariamente em ativos relacionados a uma economia de baixo carbono, e será incentivado nos termos do artigo 3º da Lei 12.431, garantindo isenção para investidores pessoa física. Os títulos a serem adquiridos deverão ser de projetos de investimento em energia financiados prioritariamente pelo BNDES, tendo as garantias reais compartilhadas com o Banco.

A associação de infraestrutura com “títulos verdes” conjuga a necessidade de ampliar investimentos nesse setor no Brasil com uma demanda por projetos ambientalmente sustentáveis. O mercado mundial de títulos verdes vem crescendo de forma mais acentuada nos últimos anos.

A iniciativa de criar o Fundo de Energia Sustentável está em linha com a prioridade que o Sistema BNDES confere às questões ambientais e ao desenvolvimento sustentável e se soma ao esforço de desenvolver o mercado de capitais de renda fixa e o financiamento privado de longo prazo.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia