RGE apoia movimento ‘Maio Amarelo’ para evitar acidentes de trânsito

Cerca de 647 mil clientes da distribuidora ficaram sem energia nos últimos 12 meses, por conta colisões contra postes

RGE e o socorro

Imprudência, negligência e desatenção no trânsito não estão apenas entre as principais causas de acidentes no País. Um levantamento produzido pela Rio Grande Energia (RGE), distribuidora do Grupo CPFL Energia, que atende 1,4 milhão de consumidores, mostra que aproximadamente 647.697 clientes ficaram sem energia elétrica nos últimos 12 meses (01/05/16 a 01/05/17), por conta de acidentes envolvendo colisões de veículos contra postes do sistema elétrico da empresa.

Nesse período, a distribuidora, cuja área de concessão abrange 255 municípios do Estado, registrou 3.099 ocorrências de colisões contra postes da rede elétrica, deixaram clientes sem luz, em média, por cerca de 5h34min.

É importante reforçar que em casos de acidentes contra postes, além dos riscos, o culpado legal, quando identificado, deve arcar com os custos dos danos causados ao patrimônio da empresa. A substituição de um poste varia entre R$1,5 mil e R$3 mil. Essa diferença de valores depende dos equipamentos instalados tanto pela distribuidora de energia como pelas empresas que ocupam a estrutura.

Por exemplo, um poste com iluminação pública simples tem menor valor que um poste que possui um transformador de energia, e equipamentos de TV e telefonia.

Maio Amarelo

Dada a importância do tema junto à população e para garantir a qualidade e segurança do fornecimento de energia aos seus clientes, o Grupo CPFL Energia está apoiando a campanha do “Maio Amarelo”. O movimento internacional tem como proposta chamar a atenção para o alto número de mortes e feridos no trânsito e promover conscientização da população em prol da direção preventiva.

A partir de ações institucionais para os públicos externo e interno (colaboradores do Grupo, que, por sua vez, multiplicam o conhecimento adquirido para familiares e amigos), a companhia eleva a discussão sobre o tema, a fim de promover uma reflexão sobre as atitudes no trânsito que, se evitadas, têm grande contribuição para reduzir o número de acidentes no País.

Ao longo do mês de maio, as empresas do Grupo CPFL Energia estão promovendo ações de conscientização com seus colaboradores em todas as localidades onde atua. Além disso, a empresa promove a divulgação de mensagens do movimento “Maio Amarelo” na rede social (Facebook).

“Os atos de prevenção no trânsito acontecem durante todo o ano, entre os colaboradores do Grupo, e nessa ocasião queremos levar nossas mensagens de segurança também aos nossos públicos”, esclarece o gerente de Saúde e Segurança do Trabalho do Grupo CPFL Energia, Marcos Victor Lopes.

Dez dicas que ajudam a tornar o trânsito mais seguro:

1. Mantenha o veículo com a manutenção em boas condições, verificando o estado dos pneus, dos freios, dos faróis e dos retrovisores;

2. Não dirija sob o efeito do álcool, remédios ou qualquer outra substância tóxica;

3. Quando estiver dirigindo, cuidado com o farol alto. Você pode ofuscar a visão do motorista na via de sentido oposto;

4. Respeite sempre a sinalização de trânsito e os limites de velocidade das vias, em qualquer dia, local e horário;

5. Respeite os pedestres e sempre use cinto de segurança e capacete, para motociclistas;

6. Não use celular quando estiver dirigindo. Além de colocar em risco a vida dos pedestres e outros motoristas, a infração para quem é pego usando o celular na direção é considerada gravíssima;

7. Em caso de manobras, sinalize para os pedestres e os demais motoristas;

8. Sempre mantenha distância segura do veículo à frente;

9. Fique atento às condições da pista e do clima. Em caso de pista molhada ou de neblina, dirija com cuidado. Diminua a velocidade e mantenha a distância dos demais veículos;

10. Em caso de acidente com poste, se houver queda de cabos energizados, procure ficar no interior do veículo e sem tocar nas partes metálicas, até o atendimento por parte das equipes da distribuidora.

Agenda e histórico

Números do Ministério da Saúde revelam a importância do tema para a sociedade brasileira. Em 2014, último dado disponível, o Brasil registrou 43,075 mil e 201 mil feridos hospitalizados em função de acidentes de trânsito. Além disso, foram pagas 52,2 mil indenizações por morte e 596 mil por invalidez. Esse quadro coloca o País como 5º colocado em número de mortes no trânsito, segundo o ranking elaborado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com dados de 2013 (último realizado).

Em 2009, a ONU levantou 1,3 milhão de mortes por causa de acidentes de veículos em 178 países. A meta da entidade é reduzir esse número pela metade até 2020. Como símbolo desse processo, a ONU decretou, em 11 de maio de 2011, que o período entre 2011 e 2020 é a Década de Ação de Segurança no Trânsito.

Com isso, o mês de maio tornou-se referência mundial para promover uma reflexão sobre o tema, culminando na criação do “Maio Amarelo”. O movimento, hoje, está presente em 23 países de cinco continentes: Angola, Argentina, Austrália, Brasil, Camarões, Espanha, EUA, Holanda, Índia, Marrocos, México, Portugal, Quênia, Reino Unido, República Dominicana, Tunísia e Uruguai.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia