IPTC: Gasolina sobe 7,9% no semestre

São Paulo voltou a ser o único estado brasileiro com o custo por litro do etanol abaixo da casa dos R$ 2 (R$ 1,99).

Arquivo: SE

De acordo com o balanço do IPTC (Índice de Preços Ticket Car) divulgado nesta terça-feira, o custo da gasolina teve, no primeiro semestre de 2015, aumento de 7,9%. Isso representa um acréscimo médio de 26 centavos de real por litro no bolso dos brasileiros (de R$ 3,20 em janeiro para R$ 3,46 em junho).

No mesmo período, o etanol sofreu aumento de 3,26%. Em janeiro, as bombas do combustível marcavam, em média, R$ 2,542/L. Em junho, esse valor subiu para R$ 2,625. Já o preço do Diesel teve um impacto de 7,37% no semestre, passando de R$ 2,751 para R$ 2,954.

Segundo balanço do IPTC, o custo médio da gasolina manteve-se estável em relação a maio, com queda de 0,01%, encerrando junho a R$ 3,46/L. Entre os estados que apresentaram melhores preços para abastecer com gasolina estão São Paulo (R$ 3,17), Paraná e Paraíba (R$ 3,29). O custo por litro mais elevado do combustível está no Acre, a R$ 3,81.

Já o etanol apresentou alta nos preços no Pará (0,64%) e em Pernambuco (0,65%). Roraima teve a maior queda registrada, de -2,57%. São Paulo voltou a ser o único estado brasileiro com o custo por litro do combustível abaixo da casa dos R$ 2 (R$ 1,99).

O combustível derivado de cana-de-açúcar custou, em média, R$ 2,62/L em junho, com queda de 0,44% em relação a maio.

Para os consumidores que têm carro flex e preferem conferir qual o combustível mais vantajoso, o ideal é fazer o cálculo dividindo o preço do etanol pela gasolina. Se o resultado for menor ou igual a 0.70, é vantajoso abastecer com etanol. Se o resultado for maior, compensa economicamente abastecer com gasolina.

Sob essa metodologia, o etanol é economicamente mais vantajoso em Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e São Paulo.

O Ticket Car consulta mais de 14 mil pontos credencia credenciados à rede, em 26 Estados brasileiros e no Distrito Federal.

O Diesel e o Diesel S-10 custaram em média R$ 2,95 e R$ 3, respectivamente. Já o Gás Natural custou em média R$ 2,10 metros cúbicos.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia