Preços do petróleo estão em alta com interrupções na Líbia

Avanço na produção de xisto pode tornar os Estados Unidos como um dos maiores produtores do mundo até 2023, diz AEI

Recuperação de preços

Os preços do petróleo subiram nesta segunda-feira, com as informações de interrupções do fornecimento na Líbia no fim de semana.

Há pouco, o Brent, que é referência, estava em alta 1,86%. O benchmark global do petróleo, subiu 0,6% para US $ 64,78 o barril no fechamento da bolsa Mercantil de Futuros de Londres. Na bolsa Mercantil de Nova York o West Texas Intermediate (WTI) com contratos futuros era negociado em alta de 0,2% em US $ 61,40 no barril.

Informações da agências de notícias internacionais davam conta de que a no fim de semana a produção da Líbia caiu cerca de 380 mil barris por dia ajudando os mercados na recuperação de  algumas das perdas da semana anterior.

As interrupções agravaram os problemas de abastecimento já comprometidos pelo grande produtor, que é a Venezuela, enquanto o País luta com uma crise sócio-econômica. Na quinta-feira, a agência eleitoral da Venezuela disse que uma votação presidencial prevista para 22 de abril foi adiada em um mês, aumentando a incerteza política e econômica.

Os preços do petróleo Brent caíram cerca de 9% desde que atingiram um pico de mais de US $ 70 por barril em janeiro, sob pressão do aumento da produção norte-americana.

De acordo com a Agência Internacional de Energia, em relatório desta segunda-feira, mostrou que os Estados Unidos podem se tornar o principal produtor de petróleo do mundo até 2023, com a produção atingindo um recorde de 12,1 milhões de barris por dia. O resultado é cerca de 2 milhões de barris por dia superior à produção de 2018.

A produção de petróleo norte-americana vem sendo puxada pelo do boom do xisto e  ajudada pelos avanços tecnológicos e eficiência aprimorada.

Com apoio de agências internacionais

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia