Preços do petróleo recuam novamente na Nyse

A Líbia, isenta do acordo da OPEP, planeja impulsionar a produção no máximo desde 2013 até o final de julho.

Arquivo: UI

O preço do petróleo voltou para o negativo nesta segunda-feira e mantendo quatro semanas em queda livre. Esse movimento de hoje se deu com os produtores dos Estados Unidos avançando nas perfurações e a Líbia, descolada dos demais, elevando também o bombeamento e seguindo na contramão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Vale destacar as medidas do cartel para manter o volume em baixa na tentativa de precificar a commoditie.

Na Bolsa Mercantil de Futuros os preços caíram 0,9% em Nova York, depois de ter atingido os piores resultados desde agosto de 2015.

Nos Estados Unidos, os perfuradores que visam o petróleo bruto adicionaram equipamentos para uma 22ª semana consecutiva, o maior período de crescimento ininterrupto em três décadas, de acordo com dados de Baker Hughes Inc. e apresentados na sexta-feira (16).

A Líbia vem produzindo mais petróleo nos quatro anos depois de um acordo com a Wintershall AG e ter habilitado pelo menos dois campos para retomar a produção, segunda dados da Bloomberg.

O petróleo mergulhou abaixo de US $ 45 o barril na semana passada, depois que a Agência de Energia disse que os estoques de gasolina subiram ao nível mais alto desde meados de março, no momento em que a demanda do verão deveria reduzir os estoques.

A OPEP e seus aliados procuraram reduzir os estoques de petróleo em volume elevados para a média de cinco anos, mas um número crescente de equipamentos de perfuração na América, bem como o aumento da produção na Líbia, estão colocando esse alvo em perigo.

Há pouco, o West Texas Intermediate para a entrega de julho, que expira na terça-feira, era negociado a US $ 44,11 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York, queda de 1,41% em Nova York.

O Brent para o acordo de agosto caiu 24 centavos para US $ 47,13 o barril na bolsa ICE Futures Europe, com sede em Londres, depois de ter baixado 1,6% na semana passada.

Os perfuradores dos Estados Unidos aumentaram a contagem de plataformas em seis para 747 na semana passada, o nível mais alto desde abril de 2015, de acordo com Baker Hughes. A produção de petróleo norte-americano cresceu para 9,33 milhões de barris por dia, mostram dados da Agência de Energia.

A produção de petróleo da Líbia aumentou para cerca de 900 mil bpd, depois que alguns campos foram reiniciados e o maior depósito do país, Sharara, aumentou a produção, de acordo com uma pessoa com conhecimento do assunto.

A Líbia, isenta do acordo da OPEP, planeja impulsionar a produção no máximo desde 2013 até o final de julho.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia